Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Talvez uma das maiores lutas dos escolhidos de Deus seja essa: Lutar contra si mesmo.
Não somente contra os seus próprios pecados, mas falo sobre uma luta constante que é travada no interior daquele que foi chamado a levar a Boa Nova.
Estou falando dos evangelizadores, cantores, missionários, etc.
É uma incrível luta que talvez muitos ao lerem este artigo não cheguem a entender.

Durante toda a minha vida sempre gostei muito de ficar em casa. Aliás até hoje.
Minha mãe sempre me chamou de “caseiro”. E quando posso ficar em casa, dificilmente apareço no meu portão.
É um contraste bem estranho, pois quem me vê cantando e saltando num palco, poderá até pensar que não se trata do mesmo Walmir que conheceu fora do palco.

E se eu dissesse que sou fascinado pelo escondimento?
Creio que muitos ficariam eternamente tentando me entender... (risos)
Porém, o que acontece comigo, acontece com milhares de irmãos evangelizadores pelo mundo afora.
Por trás das câmeras e dos cenários da vida é possível encontrar um coração extremamente necessitado de compreensão.

Até mesmo os tímidos Deus chamou.
O interessante é que no exato momento que eles precisam falar das coisas do alto, não é só a adrenalina que entra em cena, mas uma força os impulsiona a evangelizar de tal forma que depois de algum tempo passado, ficam refletindo sobre o que aconteceu.
Claro que não estou falando de um “êxtase” ou coisa parecida... Refiro-me a situações comuns, como por exemplo fazer uma leitura diante de uma assembléia...
Mesmo porque coisas impressionantes também acontecem nos momentos de simplicidade e calmaria. Mas a força é igual.
Apesar de às vezes não conseguirmos explicação, são impulsos extremamente normais.

Muitos servos se deparam com momentos de extrema batalha que é travada em seu interior.
O sentimento de que ele não é digno de estar ali é tão forte que o leva a pensar que aquele trabalho deveria ser executado por outra pessoa e não por ele.
Alguns sentem uma grande vontade de se esconder.
Outros diariamente pensam até em abandonar tudo, por causa do peso que sentem.
Mas quando aquela força aparece novamente, são incapazes de desistir.
Parece loucura, mas tem coisas no coração de um servo de Deus que poucos entenderão.
Por isso que quando ele encontra alguém que o entenda, esse será seu amigo por toda a vida.

Pelos relatos das Sagradas Escrituras, por estudos recentes e por outros textos importantes da época, foi comprovado que Maria Madalena, a ex-prostituta, foi uma das maiores amigas de Jesus.
Há fortes evidências de que ela entendia perfeitamente o coração de Jesus, bem mais que muitos que o seguiam.

Nos dias atuais, possivelmente você já ouviu esta frase: “Antes você era mais humilde”.
Surgirão pessoas que justamente por não lhe entenderem, serão causa de uma segunda batalha.
Não temo em dizer que muitas vezes a nossa noção de humildade tem atrapalhado que o Evangelho seja mais conhecido.
Não me refiro a todos os casos, mas é bom saber que Deus poderia fazer tudo sozinho, mas foi Ele mesmo que preferiu escolher os seus servos e capacitá-los.

A evangelização nos dias de hoje tem exigido bem mais dos seus propagadores.
Falo da evangelização pelos meios de comunicação e que atingem a milhares de pessoas por intermédio de rádio, televisão, internet, etc.
É claro que tudo isso não teria sentido se no coração do evangelizador não entrasse a humildade e um desejo puro e sincero de mostrar somente o seu Senhor.
E se assim acontecer, então o próprio Deus o cumula de graças que se revertem em força, inspiração e unção, que chega a ultrapassar o seu jeito de ser, as roupas que usa, etc.
Até de sua imagem, de seu rosto, de sua voz e de sua história, o Senhor se utiliza para tocar e atrair a muitos.

Como se diz por aí: “Aparecer é se comprometer” ou “É a dar a cara pra bater”.
Mesmo quando temos tudo nas mãos para realizá-la, a evangelização é sempre uma batalha, que tem seus momentos de glória e de sofrimento.
E como toda a batalha exige armas, Deus não nos deixa sós e desarmados...
Temos irmãos preciosos e que verdadeiramente são escolhidos pelo Senhor para sustentar nosso ministério; temos força pela Palavra e pela oração e temos Aquele que tudo pode: O Espírito Santo, Nosso Advogado, Inspirador e Realizador da Obra.

A Ele toda a glória, toda a honra e todo o poder, pelos séculos dos séculos. Amém.

 

  
  
 

Ver outros artigos de Walmir Alencar

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.