Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Creio que o princípio básico de toda comunidade, grupo, banda, ministério, está na qualidade do servir e servir incondicionalmente. Vejo hoje que muitas bênçãos da Igreja estão se deixando levar por detalhes, por simples "coisas" que estão derrubando um dos grandes acontecimentos dentro da Igreja, o Louvor. Sabemos que o Louvor salva, cura e liberta e devemos participar disso tudo. O Louvor não deve salvar, curar e libertar somente o outro, mas também e principalmente a nós mesmos. Quando cantamos, devemos ouvir e acreditar no que está sendo cantado. Se ministramos, devemos entrar em sintonia com a "ministração" e viver dessa forma a Palavra Ministrada através de uma canção.

Quando digo que simples "coisas" estão derrubando situações e pessoas, digo com a autoridade de quem vê irmãos dotados de tamanha unção, de tamanha autoridade, mas tendo atitudes de professor da Palavra, de rei do ensinamento... Suas ações pessoais não permitem que Deus fale o que tem que ser falado, ele toma a frente de Deus e diz: "deixa comigo!".

Definitivamente, não somos o exemplo, mas é o nosso testemunho de vida que impulsiona o irmão a viver santidade. Não somos o modelo, porque todos nós somos pecadores e, como tal, temos também as nossas falhas, os nossos defeitos, as nossas limitações. Não somos mais e nem melhores que ninguém.

Se de todas as situações, prevalecesse a humildade, o amor pela causa e o carinho para com aqueles que nos amam, seria mais fácil pregar a unidade na Igreja e muito mais, seria mais fácil viver esta unidade em todo lugar. Aceitar a diferença do irmão e não se achar superior ou inferior a ele é um ótimo começo.

Existe uma diversidade de dons e a cada um foi dado um dom especial, da mesma forma em Coríntios, capítulo 7, e se não me falhe a memória, versículo 17: Deus nos aceita como somos e nos permanece a raiz de nosso viver, não devemos mudar para agradar homens e nem estamos ali ou aqui para despertar nos outros o reconhecimento de como somos bons. Pode até ser legal ouvir que somos bons, mas na mente do irmão que se deixa levar pelos sentimentos pessoais de satisfação, isso pode virar uma brecha para que o inimigo, que é o nosso maior inimigo, venha a nos transformar em soberbos músicos, cantores, pregadores, ministradores da Palavra. Isso é triste e nos faz estar cada vez mais longe de nossa raiz, a comunidade, a Igreja, o Público.

Amigos músicos, pra terminar, somos artistas diferentes, não somos artistas do mundo e nem devemos nos deixar contaminar. Somos diferentes, porque somos povo, somos comunidade, e não somos estrelas, somos CONSTELAÇÃO. Brilhamos juntos com todos e somente brilhamos porque um todo está ao nosso lado nos fazendo seguir a nossa Linda Missão.

Que Deus vos abençoe e vos encha de unção e que você seja humilde o suficiente para deixar Deus agir por você, falar por você, cantar por você, salvar por você, curar por você e libertar por você. Fique na Santa Paz.

 

O que Deus uniu o homem não separe!

Robson Mendes (robsonmendes@aliancadevida.com.br)
Ministério Aliança de Vida - Rio de Janeiro-RJ

  
  
 

Ver outros artigos de Robson Mendes

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.