Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Olá, amigo(a), músico de Deus!

Paz e alegria!

Há algum tempo, publiquei um artigo polêmico neste site. E, com a graça de Deus, “deu o que falar”!

Em “Consagração X Sucesso” (artigo acima citado), partilhei sobre uma frase de São João Maria Vianney, conhecido como São Cura D´Ars, um sábio santo de nossa Igreja, que dizia: "Os cristãos que entram num baile, deixam o seu Anjo da Guarda na porta e é um demônio que o substitui; portanto, logo passa a haver na sala tantos demônios quanto dançarinos".

Meu amado amigo e irmão Walmir Alencar (um dos mais respeitados músicos e compositores católicos da atualidade) prega que “a unção vem da santificação e a santificação só acontece através do sofrimento”.

Nem precisamos ir muito longe em nosso pensamento. Todos os evangelizadores (nós, músicos, neste caso), precisam ter unção para ministrar com poder as obras de Deus. Para se chegar a esta unção, é preciso estar em busca da santificação. E se só chegamos a ela através do sofrimento, precisamos sacrificar nossos gostos pessoais, pensamentos e atos pecaminosos (que não nos levam à santificação), correto? Então, como no exemplo dado por São Cura D´Ars, significa deixarmos de freqüentar os lugares que nos levam ao pecado, que nos levam à perdição.

Veio para nos ensinar a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade”. (TIT 2, 12)

Como não podemos (e não devemos) pregar sobre o que “achamos”, peguemos a própria palavra de Deus como referência: “A concupiscência, depois de conceber, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte” (TIAGO 1, 15). Vemos, bem claramente, que TODA concupiscência (nossos atos de darmos lugar ao pecado, nossas atitudes que nos levam para longe de Deus ou as que até mesmo “facilitam” o pecado) termina na morte. TODA concupiscência acaba com nossa missão, mata nossa vida cristã e extermina nossa eternidade.

Para terminar, deixo mais um pensamento, refletido pelo Padre Pedro de Celso Gardini, (da Paróquia São João Batista, em que eu participo aqui em Araraquara-SP) na homilia do último domingo: “Nós estamos no mundo, mas não somos do mundo, portanto devemos evitar as atitudes pagãs”.

Pense nisso!

Jesus abençoe!

Rafael de Angeli
rafael@canaldagraca.com.br
Canal da Graça - Araraquara-SP

  
  
 

Ver outros artigos de Rafael de Angeli

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.