Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Olá, amigo(a), músico de Deus!

Um dos comentários mais comuns que nós, cantores, ouvimos é: "como você descobriu que tinha esta voz?". Isso faz parte do mito e de uma visão romântica e idealizada do processo de preparação do músico e, mais ainda, do cantor. Para a maioria das pessoas, o canto é visto somente como um dom, não percebendo também todo o trabalho técnico que, na maioria das vezes, está por trás. Talvez porque o instrumento do cantor possua características incomparáveis a outros intrumentos: a própria pessoa é o instrumento. Outra característica peculiar deste instrumento é a extrema individualidade da qual faz parte: não existe uma voz exatamente igual à outra. Um bom cantor passa por um processo de aprendizado técnico, de estudo diário e manutenção de sua voz.

Começamos, aqui, nosso estudo de TÉCNICA VOCAL.

APARELHO FONADOR

O ser humano não possui nenhum aparelho destinado exclusivamente à produção do som. Segundo PERELÒ (1975), a laringe aparece na escala animal quando é necessário proteger o aparelho respiratório contra a entrada de sólidos ou líquidos que pudessem causar asfixia.

A produção do som envolve vários orgãos que fazem, como resultado, soar nossa voz. São eles: aparelho respiratório, a laringe, as cavidades de ressonância e os articuladores.

Produção do som: O ar inspirado passa pelas cordas vocais em posição aberta, enchendo os pulmões. Na expiração é que ocorre a fonação. O ar é aspirado pelos pulmões e passa pelas cordas vocais em posição fechada.

As cavidades de ressonância têm um papel fundamental na produção do som, pois nelas é que ocorrem as modificações do som fundamental produzido na laringe. Comparando a um instrumento, poderíamos dizer que as cavidades de ressonância da voz funcionam como a caixa de um violão. Nada adiantaria vibrar as cordas de um instrumento isoladamente, pois produziria um som "pobre".

OBS: O nome correto para "cordas vocais" é "pregas vocais", pois não se tratam de cordas, mas sim de pregas musculares. Veja:

Vídeo

Cordas vocais em movimento.

 

Continuaremos nosso estudo no próximo artigo, falando sobre "Saúde e Higiene Vocal".

 

Jesus abençoe!

Rafael de Angeli
rafael@canaldagraca.com.br
Canal da Graça - Araraquara-SP

 

Referências Bibliográficas:

* Manual Prático de Técnica Vocal. Charlotte KAHLE. Porto Alegre, Livraria Sulina Editora.1966;
* Estética da Voz - Uma voz para o Ator. Eudósia Acuña Quinteiro. Summus Editorial, São Paulo, 1989;
* Fundamentos em Fonoaudiologia. Silvia M. Rebelo Pinho. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro 1998;
* VOZ CANTADA - Evolução, Avaliação e Terapia Fonoaudiológica. Henrique Olival Costa e Marta Assumpção de Andrada e Silva. Editora LOUVISE LTDA, São Paulo, 1998.
  
  
 

Ver outros artigos de Rafael de Angeli

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.