Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Algumas pessoas são radicais. Há igrejas e pastores e até padres e animadores de liturgia que proíbem seus fiéis de cantar os cantos do Pe. Zezinho ou do Zé Vicente, ou do Cardoso ou do Zé Martins porque não os acham ungidos. Não nos ouviram nem querem nos ouvir. Se fizessem isso saberiam que temos muitíssimos cantos litúrgicos, mas decidiram nos classificar como "autores não litúrgicos" - como se isso existisse.

Há autores que escrevem mais para liturgia e autores que escrevem mais para outros momentos da fé. Sou um desses, mas já escrevi e escrevo muito para liturgia. Não existem autores litúrgicos e não litúrgicos. Existem canções litúrgicas e canções não litúrgicas. Não somos coisa. Somos gente que faz coisas, assim como o pedreiro não é o tijolo que ele assenta.

Dizer que a canção litúrgica é a única canção que merece ser cantada é um exagero. Ao lado da canção profana, a canção religiosa litúrgica ou não litúrgica participa do processo de inculturação de um povo. Todo o cantor de canção sagrada precisa entender que, junto com o cantor de canção profana, está criando condições para que um povo expresse sua cultura no momento de dançar e fazer festa lá fora e no momento de dançar e fazer festa dentro do templo.

 

Pe. Zezinho, scj (pezscj@uol.com.br)
www.padrezezinhoscj.com - Taubaté-SP

  
  
 

Ver outros artigos de Pe. Zezinho, scj

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.