Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Fiquei alguns meses sem nada escrever... Sentia-me vazia, sem nada a passar através das palavras, a inspiração não vinha, tentava me concentrar, fechava meus olhos e nada, era algo difícil de expressar, eu que sempre soube disfarçar algumas coisas, desta vez não consegui esconder meu silêncio de mim mesma!

Como viajo todos os fins de semana, chegava nos lugares e procurava logo uma paisagem que me pudesse inspirar! Fui a vários lugares interessantes, vivi momentos importantes em minha caminhada nesse período, mas não fluía algo que pudesse sintetizar o que eu sentia... Era como se eu me esquecesse de como se escrevia um artigo! Não tinha tema, nem contexto! Pensei: Não vou escrever mais, quando me for solicitado, direi que meu coração está sedento de algo que não consigo descrever. E esse silêncio persistiu por algum tempo, eu comecei a me questionar...

Meu coração sabia que a expressão vem da sensibilidade e simplicidade de perceber as coisas, de verbalizar coisas e atos que ficam difíceis de se notar em alguns minutos. As palavras possuem a força de chegar ao significado dos sinais que emitimos diariamente. Os compositores, os grandes escritores, os poetas, expressam muito daquilo que se passa conosco e que, por algum momento, eles mesmos tenham vivido, eles encontram na inspiração as palavras para aquilo tudo que sentimos, é como se dissessem para nós, exclusivamente para nós! São as palavras que dão colorido aos nossos sentidos e sentimentos, esses que apenas serão compreendidos com uma reflexão, com o tempo e com o pensamento! As palavras são frutos da vivência, não se fala daquilo que não se vive ou se fala?

Talvez eu não soubesse falar daquilo que não estava vivendo, foi então que percebi que via as coisas de um ângulo só e aquilo foi perdendo o sentido quando as coisas não ocorriam como eu esperava, em vez de mergulhar no hoje, ficava analisando fatos e esperando resultados... Racional demais! Faltou equilíbrio entre emoção e razão.

O racional leva a algo além, o radical! E tudo que é racional e radical, nos aliena... Era assim que me sentia, alienada... É bom demais ter conceitos, desde que eles não nos fechem para o simples, o pouco notável e para a essência de nós mesmos! Desde que eles não excluam os outros e não machuque quem não pensa como a gente... Quando percebi que as palavras não fluíam, foi quando percebi que precisava abrir meu coração além dos estigmas que existe em nosso viver em sociedade...

Sentir-se vazio e sem fluir as coisas pode querer dizer que o nosso universo pode estar limitado, pelo simples fato de querermos enxergar apenas o que acha válido e as outras coisas passarem despecerbidas! O melhor entre a razão e a emoção é o equilíbrio.

 

Karla Fioravante
karla.fioravante@terra.com.br
Cantores de Deus - São Paulo-SP
  
  
 

Ver outros artigos de Karla Fioravante

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.