Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Quando vejo um número enorme de músicos em nossa igreja, meu coração fica feliz. O que preocupa não é o número de músicos, pois isso é muito bom, sinal que o exército está em tempo de crescimento e que a cada dia outros soldados assumem para si a causa da batalha, que não é outra se não a de salvar vidas inteiras.

Aqui, deve entrar nosso zelo e nossa cautela, um exército deve estar sempre bem posicionado, cada um no seu lugar. Se todos forem para frente de uma só vez, o exército inimigo pode derrubar a todos e ganhar, mesmo que por um momento, o conflito.

É um pouco disso que vejo acontecer em nossas comunidades e em geral na caminhada da igreja. Muitos parecem querer estar à frente (ministros e ministérios), começam por achar que devem tocar na missa ou no encontro e até gravar um CD só porque "gostam de música". Alguns até dizem que foi Deus quem falou e aí está o perigo, começamos a colocar palavras na boca de Deus, só para realizarmos nossa vaidade. E se é vaidade, não consegue durar muito tempo.

Minha gente, música também é vocação, não basta gostar dela, tem que estar disposto a ser humilhado, não ser ouvido, às vezes tratado com indiferença, porque os homens agradáveis a Deus são provados pelo caminho da humilhação (Eclo, 2).

Sabemos que somos chamados ao matrimônio quando estamos dispostos a viver o que for preciso para estar ao lado da pessoa amada, o sacerdote ou as religiosas sabem da sua vocação quando, dentro do peito, arde o desejo de abdicar de tudo o que for preciso para se consagrar a Deus por completo, e nós, os músicos de Deus, sabemos que música faz parte da nossa vocação quando somos capazes de reconhecer as dificuldades e, apesar delas, saber que valerá a pena seguir em frente.

Um padre realizado na vocação é um padre feliz.
Um casal realizado no matrimônio é um casal fiel a Deus e a si mesmo.
Um músico realizado é um músico que canta com alegria e autoridade de profeta.

 

Deus os abençoe.

Izaias (izaiasrio@ig.com.br) - www.cantorizaias.com
Missão Coração Novo - Rio de Janeiro-RJ
  
  
 

Ver outros artigos de Izaias

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.