Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


Os jovens gostam muito de música, mas não é qualquer canção que faz bem à sua alma. A beleza da música está na sua letra e na sua melodia. É uma arte, e assim deve ser apreciada.

A música não deve ser instrumento para expressar as próprias frustrações ou irreverências; caso contrário, ela perde a sua beleza. Portanto, rejeite a que for suja e baixa; não a cante!

Os jovens gostam de música barulhenta; tudo bem, mas ela não deve ser sensual, imoral, pornográfica, erótica, entre outros. O barulho não ofende a Deus, mas o pecado, sim.

Mas saiba que qualquer som que ultrapasse a intensidade de 120 decibéis de intensidade (limiar da dor) é prejudicial à saúde e pode levá-lo à perda gradativa da audição, e também pode causar zumbido nos ouvidos e outras complicações auditivas. Muitos salões de música jovem chegam aos 120 decibéis; por isso, cuidado: a poluição sonora mata células nervosas do cérebro, responsáveis pela audição, e essas células não se reproduzem.

Sabemos que hoje muitas músicas estão repletas de palavrões, baixarias, até ofensas a Deus. Outras, como alguns rock pesados (heavy metal), estão repletas de violência, pornografia, exaltação ao demônio, instigação ao sexo, etc. Tudo isso precisa ser evitado e renunciado com o propósito de não aderir a essas músicas e shows. Especialmente os shows e festivais de rock pesado, e outros ritmos, pois, são, muitas vezes, ocasiões de consumo de droga e liberação dos mais baixos instintos sexuais e violentos; por vezes até com práticas de demonismo, bruxarias e coisas semelhantes.

Muitas vezes o jovem ouve ou canta uma música em inglês sem saber a letra, e pode estar cantando e ouvindo mensagens erradas. Muitos roqueiros terminaram de maneira triste as suas vidas, ainda na juventude. Veja alguns casos:

Brian Jones, dos Rollings Stones, morreu afogado em sua piscina, sob a influência de drogas e bebidas.

Janis Joplin, “rainha da música rock”, morreu de overdose de heroína.

Jimi Hendrix, morreu sufocado no seu vômito, após embriagar-se e tomar sedativos.

Ron Mckernan, Grateful Dead, sucumbiu por um envenenamento lento de bebida alcoólica.

Marc Bolan, líder guitarrista e compositor de canções da T-Rex, que atribuiu o seu sucesso à magia negra, morreu num misterioso acidente de automóvel.

Elvis Presley, conhecidíssimo, morreu devido ao consumo de drogas.

Keith Moon, The Who, suicidou-se.

Sid Vicious, Sex Pistols, apunhalou a sua companheira e em seguida, aplicou-se heroína até morrer.

John Bonhan, Led Zepplin, morreu asfixiado pelo seu vômito, após tomar 40 copos de vodca.

Bon Scott, AC/DC, autor de “Rodovia para o inferno”, morreu asfixiado pelo seu vômito após passar a noite bebendo.

John Lennon, The Beatles, foi morto a tiros por um fã.

Pete Farndon, Pretenders, foi encontrado morto na banheira com a seringa de heroína ainda no braço.

Marvin Gaye, após uma briga com o seu pai, morreu em consequência dos ferimentos à bala, causados por sua própria culpa.

Yogi Horton, famoso baterista, saltou do 17º andar de um prédio em Nova York.

Jaco Pastorius, baixista de Jazz e Rock, foi ferido gravemente numa pancadaria e morreu por causa desses ferimentos.

Roy Bucaran, um dos mais famosos guitarristas de rock e blues do mundo, enforcou-se embriagado numa cela de desintoxicação.

Esses casos são apenas os mais famosos; esta lista poderia ser aumentada em mais de 20 outros casos. São nomes que os jovens conhecem. É o caso de perguntar: você escolheria um desses para ser o seu mestre? Ou como dizem os jovens, o seu ídolo? É este caminho de morte que você quer para a sua vida?

É sabido que alguns cantores de rock pesado e seus adeptos praticam o satanismo. Os nomes dos conjuntos mostram isso:

“Black Sabbath” (Missa Negra); os membros gostam de se chamar de “adoradores do diabo do rock”. KISS - “Knights In Satan Service” (Cavaleiros a Serviço de Satanás). WASP - “We Are Satan’s People”(Nós somos o povo de Satanás), ou: “We Are Sexual Perverts” (Nós Somos Pervertidos Sexuais), ou: Vernom (Veneno de Serpente), o grupo se considera como “o braço esquerdo do Senhor Satanás na Terra”.

Os títulos de suas canções também mostram isso:

“Rodovia para o inferno”- um hino internacional e praticamente um credo para os amigos do “hardrock” .

“Sinos do Inferno”; “O Número da Besta”; “Chame o Diabo”; “O Pedido de Sua Majestade Satânica”; e a música “Simpatia pelo Diabo”, que se tornou como que o hino oficial para os adoradores de Satanás na América do Norte.

O conjunto Black Sabbath, da Inglaterra, fez um pacto com Satanás durante um “batismo” demoníaco.

É preciso que você saiba que muitas vezes os jovens cantam essas músicas sem saber o que estão cantando, e, assim, estão louvando a satanás.

 

Professor Felipe Aquino
Apresentador da "Escola da fé" e "Trocando ideias"
TV Canção Nova

  
  
 

Ver outros artigos de Prof. Felipe Aquilo

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.