Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


O que você faria se descobrisse que seu melhor amigo irá te trair daqui a um dia ou dois dias e essa traição poderá custar sua vida ou a vida de seu único filho?
O que faria se descobrisse que alguém bem próximo de você irá desconfiar de suas atitudes, de suas palavras e te humilhará na frente de outros amigos?
O que faria se descobrisse que alguém que anda com você 24 horas dirá daqui a algumas horas que não te conhece, que nunca te viu mais gordo?
Qual seria sua atitude?

Você pode me perguntar: "Isso tudo já aconteceu com alguém?".
Sim, isso tudo já aconteceu um dia. Aproximadamente há dois mil anos atrás.
Foi com um cara chamado Jesus! Sabe qual foi sua atitude? Lavou os pés daqueles que ainda iriam errar com ele. O perdão foi dado antes do ato do erro. Não é incrível?
Então é isso o que Jesus queria dizer com perdoar 70 vezes 07?

Então é isso o que queria dizer sobre "Eu vos deixo um novo mandamento... Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei... É sobre esse tipo de amor que Jesus se referia?".
É sobre isso que quero falar com você! Sobre o novo mandamento deixado e demonstrado por Jesus. Sim, demonstrado acima de qualquer coisa.

Uma das últimas coisas que Jesus fez antes de morrer foi deixar bem visível o amor que sentia pelos discípulos. Se observarmos bem sobre a passagem bíblica onde Jesus lava os pés dos discípulos, poderemos tirar dali talvez a maior mensagem sobre o amor e o perdão e sobre como expressar os dois.

Amar como Jesus amou? Como assim? Que amor é esse?
Na passagem do lava-pés tudo fica muito claro.
Bem, vamos lá!
Jesus, sendo Deus, era onisciente, portanto sabia exatamente o que iria acontecer com Pedro, Judas, Tomé e outros mais...
Jesus já sabia que Judas O trairia e mesmo assim lavou seus pés.
Jesus já sabia que Pedro O negaria três vezes e mesmo assim lavou os dedos rachados de seus pés.
Jesus sabia que Tomé questionaria a ressurreição e pediria para tocar em suas chagas e mesmo assim lavou seus pés.
Imagine Jesus lavando seus pés e vendo as cenas futuras. Imagine qual o sentimento de Jesus ao ver tudo aquilo? Sim, porque Ele podia ver o futuro, ou não teria dito para Pedro sobre o fato de que ele iria negar Jesus.
Você lavaria os pés de alguém se soubesse que esse alguém iria roubar sua casa? Sinceramente, lavaria? Daria o perdão antes do ato do roubo?

Onde quero chegar?
Jesus, naquele ato de lavar os pés, estava na verdade perdoando as coisas que ainda iriam acontecer no futuro. Veja bem, nada daquilo havia acontecido, porém Jesus já estava antecipando o perdão a todos os erros.

Aqui está a resposta: Esse é o verdadeiro amor, o novo mandamento.
Um amor capaz de perdoar os erros que ainda irão acontecer. Um amor capaz de perdoar erros que podem te envergonhar e até lhe tirar a vida.

A misericórdia aqui é oferecida antes do pecado. Veja, não há julgamento, apenas perdão e amor. O perdão nos é estendido antes que caiamos no erro.
Conheço mulheres que perdoaram a traição de seus maridos e vice e versa. Mas será que estariam ambos dispostos a perdoar caso acontecesse novamente?

O julgamento de Deus nunca me deixou espantado. Mas a sua graça, a sua misericórdia sempre me deixa atordoado.

Em seus últimos momentos, Jesus simplesmente deixa transparecer esse amor. Esse perdão, essa misericórdia.
Uma misericórdia que antecede o erro.
Uma mão estendida antes da queda.
Uma voz dizendo: Quando você pecar, se você quiser, eu o perdôo e o lavo com meu Sangue.
Não, não há um erro de português aqui. É isso mesmo!
Veja: O ato de pecar está no tempo futuro. O do perdão está no presente.

Será que somos capazes de fazermos o mesmo?

Uma outra pergunta?
Será que temos demonstrado nossos sentimentos de amor aos que nos rodeiam? Temos expressado nosso amor por aqueles que sentam em nossa mesa de jantar? Temos lavado os pés deles ou em casa é mais difícil? Pois foi exatamente isso que Jesus fez. Lavou os pés dos mais próximos dEle.
Jesus sabia que Lhe restava pouco tempo e por isso fez questão de deixar isso bem claro. Nenhum discípulo tinha qualquer dúvida a respeito do amor que Jesus sentia por eles. Essa é sem dúvida uma outra mensagem deixada por Jesus na passagem do lava-pés. Expressar o nosso amor aos de casa, aos mais próximos a nós.

Quanto tempo você acha que lhe resta pra demonstrar seus nobres sentimentos por aqueles que você ama? 10 anos, 01 ano, 01 mês ou menos de 01 minuto?

Será que os que estão a sua volta têm alguma dúvida sobre o seu amor por eles? Seus sentimentos por eles estão claramente expressados?
Não responda essa pergunta de qualquer jeito. Pense a respeito!

Voltando a falar do novo mandamento quero dizer que: Perdoar alguém por nos ter ofendido é até fácil, mas será que estamos preparados para dizermos assim: Irmão, se você errar de novo comigo, seja lá o que for, você já está perdoado! Mesmo se matar o meu filho eu te perdôo! (Conheço alguém que perdoou o assassino do próprio filho).

Uma vez perguntei a um amigo sobre uma briga que teve com outra pessoa. Perguntei se eles já tinham se perdoado e se reconciliado e a resposta foi: bem, eu o perdoei, nós nos reconciliamos, mas daqui pra frente é cada um por si e seja o que Deus quiser. Ele segue o caminho dele e eu o meu.
Não vejo aqui nesse exemplo a aplicação do novo mandamento de Jesus.

Sabe, definitivamente não é isso que Deus quer. O que Deus quer é que possamos dizer uns aos outros: Não importa quantas vezes você caia, o que importa é que sempre estarei de mãos estendidas pra te levantar. Não importa o quanto você errou comigo, o que importa é que te perdôo assim como Deus me perdoa em meus erros.
Marido dizendo isso para as esposas. Esposas dizendo isso para seus maridos.
Um amigo declarando o perdão ao outro
Patrão perdoando o empregado. Empregado perdoando o patrão.
A namorada perdoando o namorado pela traição...

A misericórdia.
Nela está a resposta. A misericórdia que antecede o erro. O coração perdoador. O coração misericordioso.

Um coração misericordioso pode mudar um coração de pedra.
E se você me perguntar se isso é possível eu te responderei: CLARO QUE SIM!
Lembre-se que Deus mora em nossos corações.
Portanto, se o morador dos nossos corações pode perdoar os pecados que ainda vão acontecer, também podemos.

Se Deus pode estender a misericórdia antes do ato pecaminoso, também podemos.
Assim podemos dizer que o novo mandamento é totalmente palpável e aplicável em nossas vidas atuais.
Porque é o coração de Deus que bate no meu!

Dizer que perdoamos e ao mesmo tempo dizer, por exemplo, que o se o irmão ou a irmã cair novamente não os perdoarei! Desculpe-me, mas isso não é o perdão que Jesus pregou, não é o amor do qual Jesus tanto falou. Isso não é exercer o novo mandamento.

Todos somos passiveis de erros e continuaremos errando e na maioria das vezes será o mesmo erro. Estamos sempre batendo na mesma tecla.

Não há tempo hábil. O mundo está à beira do caos, da calamidade por falta de amor. Portanto, vamos praticar sem mais demoras esse novo mandamento dado por Jesus Cristo:
"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei...".

Ou melhor, dizendo:
Perdoemo-nos uns aos outros, mas não somente os erros do passado e sim os erros que ainda irão acontecer no futuro. Sejam lá quais forem esses erros, o tamanho deles e suas conseqüências.
E que Deus, morando em nossos corações, nos capacite com tamanha virtude.

Deus o abençoe e faça do seu coração um coração eucarístico!

 

Dalvimar Gallo
dalvimar@codimuc.com.br
Anjos de Resgate - Cachoeira Paulista-SP

  
  
 

Ver outros artigos de DALVIMAR GALLO

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.