Loja CDCristão.COM
Home
Notícias
Releases/Biografias
Links
Blogs
Orkut
Twitter
Lançamentos
Catálogo
Em Estúdio
Loja Virtual
Ranking
Prêmios
Aniversariantes
Promoções
Newsletter
Agenda/Eventos
Programa Acorde
Cristoteca
Rádio Beatitudes
Clipes
Cifras
Partituras
MP3
Entrevistas
Salmo On-Line
Luiz Carv. Responde
Carta do Papa
Direitos Autorais
Lista de Discussão
Artigos - Músicos
Testemunhos
Artistas
Gravadoras
Rádios Católicas
Divulgação
Fale Conosco!
Pedido de Orações


A Paz de Cristo!

Num show ou evento grande é fácil nós reconhecermos aquele "cara" que toca guitarra porque ele é o mesmo que não tira os olhos das suas mãos, procurando decorar frases e solos, e sempre dá um jeito de esticar o pescoço para dar uma olhadinha na pedaleira que estamos usando!

Limitadores e compressores, trêmolos, noise gate, phasers e flangers, delay, chorus, enfim são muitos recursos para obter o som mais adequado em nosso instrumento.

Mas será que nós sabemos realmente o que são estes efeitos? Vamos dar uma visão geral:

Limitadores e compressores: São dois dispositivos usados para reduzir o alcance dinâmico do sinal antes que ele seja levado ao alto-falante. Na limitação pode-se reduzir este alcance em situações em que há risco de se produzir sinais de voltagem excessivamente alta e repentina. A limitação controla e regula um sinal acima do nível máximo predeterminado. Assim o nível de saída permanece constante. Os compressores são mais sutis que os limitadores mais os dois tem atuação bastante parecida. A compressão pode melhorar a audibilidade e contribuir para um som intenso e coeso.

Trêmolo: O efeito de trêmolo é muito confundido com o de vibrato mas são totalmente diferentes. O trêmolo é a alteração rápida e constante da intensidade. Pode-se controlar a velocidade, que regula o número de alterações de volume por segundo; e a profundidade, que controla a extensão dessa alteração.

Noise Gate: A função noise gate é para fechar um canal quando nenhum sinal passa através dele. Portanto, pode-se eliminar algum ruído gerado em algum dispositivo ligado em algum ponto da linha de alimentação. Por isso, é muito comum como o último pedal antes do amplificador.

Phasers e flangers: O efeito de flanging surgiu de uma técnica de estúdio que era popular nos anos 60. Um sinal idêntico era gravado em dois gravadores separados, rodando simultaneamente. As duas gravações eram tocadas e regravadas. No entanto, dessa vez, a velocidade de um dos gravadores era variada por uma pressão que o operador aplicava cós os dedos à beirada (flange) do carretel. Phaser e flangers eletrônicos têm seu efeito controlado por níveis de velocidade e profundidade.

Delay: O princípio de defasagem permite criar efeitos eletrônicos de retardos (delay) e modificações na freqüência das notas tocadas. Quando o atraso atinge alguns milisegundos, produz-se o efeito de duplicação. Esse é o principio do Eco. Quando esses efeitos variam de forma rápida e aleatória, as pequenas alterações de atraso e de altura das notas podem fazer com que um instrumento soe com diversos tocando juntos. A isso nós chamamos Chorus. também neste efeito podemos regular a velocidade e a profundidade.

Deus abençoe todos vocês!

 

Augusto Cezar - DOM
tioguto@ig.com.br
Rio de Janeiro-RJ

  
  
 

Ver outros artigos de Augusto Cezar

Voltar para ARTIGOS

Listar TODOS os artigos em ordem alfabética

  
  
  Envie esta página para um ou mais amigos!
  
  
 
Voltar...
  
 
  
 Copyright © 2001 - 2011 por Portal da Música Católica. Todos os direitos reservados.